terça-feira, 24 de julho de 2012

Teatro na FLIM junta Clarice e Molière para fazer rir e pensar


O grupo carioca de teatro No Palco da Vida, comandado pelo ator e diretor Wal Schneider, vai trazer para a FLIM o espetáculo Vamos Combinar Clarice e Molière. Trata-se de uma recriação da conhecida peça O doente imaginário, do francês Molière, na qual uma das personagens entra numa espécie de delírio e traz à cena a brasileira Clarice Lispector e seu encantador texto Das vantagens de ser bobo.

Para Wal Schneider, as engraçadas peripécias de O doente imaginário  "têm tudo a ver com o bobo de Clarice". A peça francesa, escrita em 1673, inspira-se, como os demais trabalhos de Molière, na Commedia Dell´Arte italiana, na qual o personagem do Arlequim é uma espécie de bobo da corte – a figura que, através do humor e das presepadas que faz, denuncia e critica a hipocrisia da sociedade, a arrogância dos poderosos e as fraquezas humanas em geral.

Em O doente imaginário, o velho Argan é um homem rico, sovina e hipocondríaco, cercado por pessoas ambiciosas que criam estratagemas para explorá-lo. Tudo isso sob o olhar debochado e crítico da empregada Nieta. É através dela que Wal Schneider explora no espetáculo as similaridades que encontrou entre Clarice e Molière. E, de quebra, ainda se inspira numa terceira figura muito conhecida dos madalenenses: Dercy Gonçalves. Como Nieta, o Arlequim e os “bobos” em geral, ela também usava o humor como arma certeira contra nossas mazelas.

Wal Schneider (de verde na foto) conduz um projeto social que traz para o mundo do teatro jovens moradores das imediações do Complexo do Alemão, no Rio. Mas a montagem de Vamos Combinar Clarice e Molière que será apresentada na FLIM 2012 será com atores adultos. 

Biógrafa de Clarice fará palestra na FLIM

Teresa Montero, autora da primeira grande biografia de Clarice Lispector (Eu sou uma pergunta, editora Rocco, 1999), fará uma palestra sobre a homenageada especial da FLIM no sábado, dia 25 de agosto.


É uma oportunidade imperdível para conhecermos melhor a vida e a obra de Clarice, uma das mais populares, interessantes e, ao mesmo tempo, mais enigmáticas figuras da literatura brasileira.