segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Relatório da FLIM 2017

Apresentação

A FLIM - Festa Literária de Santa Maria Madalena é realizada todo ano desde 2010. Sempre no último fim de semana de agosto, oferece dezenas de atrações culturais gratuitas, no centro histórico da cidade. É promovida pela Associação Pró-Cultura de Santa Maria Madalena, entidade da sociedade civil, em parceria com o poder público municipal (Executivo e Legislativo) e o comércio local.  

Este Relatório apresenta os resultados da 8ª FLIM, que se realizou de 25 a 27 de agosto de 2017 e homenageou a escritora Ana Maria Machado. 

A avaliação da edição 2017 mostra que conseguimos atingir os objetivos traçados no ano anterior. Como se verá a seguir neste Relatório, conseguimos cumprir o objetivo específico de aumentar o envolvimento da sociedade civil e do comércio madalenenses na produção do evento. Destacam-se, nesse sentido, a criação do grupo Jovens Voluntários, que mobilizou e organizou estudantes para trabalharem na organização da FLIM; e a consolidação de um projeto de arrecadação de recursos iniciado no ano anterior, o "Comércio Amigo da FLIM".

Tudo isso nos permitiu continuar avançando na direção de nossos objetivos estratégicos: 1) aumentar continuamente a qualidade do conteúdo oferecido; 2) aprofundar o intercâmbio cultural com outros municípios do Estado do Rio de Janeiro e outros estados; 3) propiciar inclusão social através do acesso à cultura; 4) contribuir para o desenvolvimento do turismo em Santa Maria Madalena; e 5) ampliar a presença de Santa Maria Madalena no mapa cultural e turístico do estado do Rio de Janeiro.

Agradecemos a todos que, dentro e fora de Santa Maria Madalena, contribuíram com trabalho voluntário, doações e/ou com sua presença para o sucesso da  FLIM 2017.

Santa Maria Madalena, 30 de outubro de 2017

Nelson Neves Saraiva – Presidente da Associação Pró-Cultura de Santa Maria Madalena
Marcelo Freixo Lima – Secretário Municipal de Educação, Esporte e Cultura
Rogério Botelho – Presidente da ACIAM (Ass. Ind., Com. e Agropecuária de Santa Maria Madalena)

O público

Com uma extensa área de 800 km2, Santa Maria Madalena tem uma população de 10 mil habitantes, dos quais 50% na zona urbana. Os moradores da área rural espalham-se em seis distritos, a maioria ligados à sede por estradas de chão e a até 60 quilômetros de distância. 

Os habitantes da área urbana, como de hábito, compareceram em peso à FLIM 2017, participando entusiasticamente das mais de 60 atividades oferecidas. Além disso, como em todas as edições anteriores, a Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Cultura estimulou e facilitou a participação dos alunos e professores da rede municipal de ensino, fornecendo-lhes alimentação e transporte durante o evento. Assim, mesmo os estudantes e mestres  que moram nas mais distantes áreas rurais do município, puderam participar. Além de apresentarem ao público os trabalhos que produziram em sala de aula, sobre a vida e a obra da homenageada Ana Maria Machado, tiveram oportunidade de assistir aos debates, palestras, shows e exposições que integraram a programação. 

O afluxo de turistas e visitantes foi surpreendente. Apesar da crise econômica que afeta o país, a rede hoteleira de Santa Maria Madalena teve 100% de ocupação. Para atender a demanda excedente, moradores abriram suas casas para parentes e amigos e alugaram quartos para turistas retardatários.  

Entre as cidades de origem dos turistas e dos visitantes de um dia estão: Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Macaé, Conceição de Macabu, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio, Carapebus, Campos dos Goytacazes, São Fidélis, Itaocara, Aperibé, Cantagalo, Cordeiro, Macuco, São Sebastião do Alto, Trajano de Moraes, Bom Jardim, Nova Friburgo e Petrópolis. 


Resultados econômicos

A FLIM não tem finalidade lucrativa. Os ganhos econômicos são avaliados por seus efeitos sobre o movimento e faturamento dos comerciantes e prestadores de serviços madalenenses. Em 2017, como a acontece desde a segunda edição, em 2011, os estabelecimentos em ligação direta com o turismo, como hotéis, pousadas, bares, restaurantes, lojas de souvenir e seus respectivos fornecedores, confirmaram a FLIM como o segundo evento do calendário turístico-cultural gerador de faturamento no município, sendo o primeiro o Carnaval.   

Essa percepção contribuiu para o sucesso da iniciativa "Comércio Amigo da FLIM

Em outubro de 2017, confirmando a expectativa de que a FLIM viria a servir de modelo para novos eventos turístico-culturais na cidade, o comércio local, em parceria com a Prefeitura Municipal, realizou a 1ª Festa da Mandioca de Santa Maria Madalena, um festival de gastronomia e cultura popular que teve grande sucesso de público e de faturamento para os bares e restaurantes participantes.


Resultados educacionais e culturais
A criação do grupo Jovens Voluntários da FLIM, um projeto longamente acalentado pelos organizadores do evento, foi finalmente conquistada em 2017. Duas dezenas de moças e rapazes, estudantes do ensino médio e superior, participaram ativamente da produção da FLIM. Orientados por voluntários mais experientes na organização do evento, os jovens desempenharam diversas tarefas operacionais antes, durante e após a festa.Todas foram tarefas de extrema importância para o sucesso do evento: da montagem e desmontagem de tendas à recepção e orientação dos visitantes; da produção de cenários e figurinos à apresentação de palestrantes e artistas; e da cobertura fotográfica para posterior divulgação da festa à produção de críticas e sugestões para as próximas edições.

Dos muitos impactos culturais da edição 2017, vale destacar o papel que a FLIM teve na divulgação,  da obra adulta de Ana Maria Machado na região. Considerada uma das principais, se não a principal, autora brasileira contemporânea de livros para crianças, a escritora tem também uma importante obra adulta, de romances e ensaios sobre cultura, história e literatura, que a FLIM se propôs - e conseguiu - apresentar ao público local, abrindo assim novos horizontes para todos os envolvidos.

O futuro

Mantendo-se fiel a seu princípio de não depender completamente de recursos públicos de qualquer esfera de governo, o desafio da FLIM continua a ser o de ampliar e diversificar suas fontes de recursos financeiros e de mão-de-obra voluntária. 

Portanto, para 2018, continuaremos a nos apoiar no tripé Pessoas Físicas/Empresas/Poder Público, buscando esse apoio na forma de horas de trabalho não remunerado, patrocínios, doações de recursos materiais (como transportes, serviços gráficos, serviços de alimentação e hospedagem, materiais de decoração e outros).  

Em relação ao trabalho voluntário, buscaremos consolidar a participação dos jovens estudantes iniciada em 2017 e estimular uma participação mais efetiva da população mais velha, sobretudo os aposentados. Acreditamos que o estímulo ao trabalho voluntário tem dois aspectos igualmente positivos e que se retroalimentam. De um lado, a mão-de-obra voluntária contribui para a continuidade do evento. De outro, no caso dos jovens, eles ganham treinamento e acumulam experiências que serão vantajosas para sua inserção futura no mercado de trabalho. No caso dos mais velhos, em especial os aposentados, lhes dá a oportunidade de se manterem produtivos, contribuindo para o bem comum. 

A FLIM 2018 – IX Festa Literária de Santa Maria Madalena se realizará em 24 a 26 de agosto de 2018.



terça-feira, 29 de agosto de 2017

FLIM 2017: Emoções à solta

Foi um fim de semana de muitas emoções. Nos olhos brilhantes da criança, aninhada no colo da mulher que inventou as histórias que a encantaram. Nas lágrimas do idoso que relembrou a infância ao ouvir palestra da antropóloga sobre o cotidiano nas antigas fazendas de café. Na satisfação dos que voltaram para rever os amigos feitos no ano anterior. E até nos gritos de medo da menina, surpreendida com o grupo de "fantasmas" e "mortos-vivos" que, já no finzinho da festa, invadiram a praça para assustar crianças e adultos que, distraídos, contavam e ouviam histórias de terror.

Os sorrisos da escritora homenageada, Ana Maria Machado, e de sua pequena fã resumem o clima da FLIM 2017


A literatura se espalhou pela cidade. Qualquer lugar era bom para ler, ouvir e falar sobre livros...







Em festa que se preza, música é fundamental.






As artes visuais apareceram sob muitas formas e expressões...







.. incluindo as "artes" da criançada das escolas madalenenses...








Também teve espaço para o teatro...



...para a contação de histórias...



para conhecer a comida típica das antigas fazendas de café...


e até para um joguinho de xadrez!


Foram muitos os cenários para celebrar a cultura: o auditório da Câmara Municipal,




a sombra proporcionada pelas tendas...




e o gramado das praças.





No palco ou na plateia...

















famosos e anônimos,





pessoas de todas as idades e diferentes origens,




fizeram trabalho voluntário...






brincaram...






e aprenderam juntos.



Assim é a FLIM. Porque, no fim das contas,




Créditos: A maior parte das fotos desta reportagem é de Lucas Abreu, do grupo de Jovens Voluntários da FLIM. Também colaboraram: Guina Ramos, Nestor Lopes, Romildo Guerrante e Simone Giron.







quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Thiago, Diego, Rick e Ronaldo

Thiago e Ronaldo moram no Rio, Diego em Macuco e Rick em Cantagalo. Os quatro têm em comum a juventude, a criatividade e o gosto pela literatura como forma de expressão. Os quatro vão se apresentar na FLIM.

Pássaros Artificiais: HQ de Diego Aguiar Vieira
Diego Aguiar Vieira, da pequenina Macuco, é, provavelmente, o mais vanguardista. Combina a prosa literária com as histórias em quadrinhos, mistura tudo e faz um "pacote" que estimula o leitor a criar/montar as histórias junto com ele. Vai fazer na FLIM uma palestra sobre narrativas pós-regionalistas. O que é isso? Ora, vamos descobrir ouvindo o Diego.



O cantagalense Rick da Cunha é contista e poeta. Produz microcontos, o novo gênero literário de poucas palavras, nascido sob medida para as novas mídias. Já participou de outras edições da FLIM. Este ano lança aqui um livro de poemas, Da varanda do mundo.

Thiago David também é poeta. O lançamento de seu livro A poesia da notícia coroa um curioso projeto que durou um ano e lhe exigiu muita disciplina: todo os  dias, abrir o jornal, escolher uma notícia e escrever um poema. Como se vê, poetas são capazes de achar poesia até no noticiário dos conturbados tempos que vivemos.

O carioca Ronaldo Junior vem com O verso sou eu, um volume com 60 poemas que ele vai autografar logo após a apresentação de "Poesia e os Direitos do Homem", um compartilhamento de textos inspirados em artigos da Declaração dos Direitos do Homem. O documento, proclamado durante a Revolução Francesa, está completando 228 anos neste dia 26 de agosto. Ronaldo Junior vai participar junto com o também poeta Thassio G. Ferreira e a mediadora Valéria Martins. O público pode obter pela manhã cópias dos artigos na Tenda do Dezessete, na Praça Frouthé, e escrever um texto para compartilhar à tarde. Vejam aqui os horários das aparesentações:

Sábado 26 de agosto

15h às 16h
Pássaros Artificiais: Narrativas pós-regionalistas e HQ – Com Diego Vieira, no Sr. Café

15h30 às 17h
Poesia e os Direitos do Homem – Bate-papo comemorativo do 228o aniversário da Declaração dos Direitos do Homem. No Tendão Cultural

17h às 18h
Da varanda do mundo – Lançamento do livro de poemas de Rick da Cunha. No Sr. Café

Domingo – 27 de agosto

10h às 11h
A Poesia da Notícia– Lançamento do livro de Thiago David e bate-papo com o autor sobre o projeto “Um poema por dia”, baseado em notícias de jornal.
Tendão Cultural

Teatro, pedagogia, poesia: mulheres em destaque

Mais atrações da FLIM 2017: No sábado, às 16 horas, o grupo de teatro Harmonia, dirigido pela atriz madalenense Marlene Freitas, traz a peça Fragmentos, baseada em textos de vários autores. Do elenco fazem parte Iris Corradi, Maria Elisa Caputo, Ryan Poubel, Ana Mara, Joana, Suellen, Angélica, Lucas, Carlos Alexandre, Arthur, Grazielly , Sabrina e Marlene. 

No mesmo dia, também às 16 horas, Cecília Pinheiro, professora na Escola Municipal Alto Independência, em Petrópolis, vai compartilhar a experiência do Projeto Independência, que está reconfigurando as práticas pedagógicas  na escola pública e em 2015 ganhou do MEC o prêmio de Inovação em Educação. 

Mariná Sarmento

E no domingo, a professora e escritora Vanda Salles, ativista cultural em São Gonçalo, faz palestra sobre a obra da poetisa madalenense Mariná Valentim de Moraes Sarmento (1909-2003), que às vezes se assinava Mariná do Brasil. A madalenense fez parte da geração de mulheres latino-americanas que se destacaram na criação de uma poética feminina e proto-feminista nas primeiras décadas do século 20. Entre elas, estão a uruguaia Juana de Ibarbourou (a Juana da América), a argentina Alfonsina Storni e a chilena Gabriela Mistral, prêmio Nobel de Literatura de 1945. Mariná  viajou pelo mundo, morou em várias cidades e morreu em Santa Maria Madalena. Seus livros mais conhecidos são Ânfora e Verão em Flor.

Horários:

Sábado 26 de agosto 
16h às 17h

Fragmentos  – Grupo de teatro Harmonia. Direção de Marlene Freitas. Casarão Dubois
Inovação na Educação: O caso do Projeto Independência. Sede da Euterpe

Domingo 27 de agosto
14h às 15h
Mariná do Brasil, mulher do século 21 – Palestra de Vanda Salles. Senhor Café.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Atrações da FLIM qualificam professores municipais


Os professores da rede municipal de ensino de Santa Maria Madalena que participarem das atrações da FLIM relacionadas abaixo e assinarem o livro de presença que estará disponível no local receberão certificado de participação. A iniciativa faz parte do programa de Qualificação de Professores da Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Esportes, em parceria com a FLIM.

As atividades selecionadas pela Secretaria de Educação são as seguintes: 

 Bate-papo com Ana – Encontro com a homenageada da FLIM (exclusivo para alunos das escolas, pais e professores) - Sábado, 10h às 11h, na Câmara Municipal
  Ana para gente grande – Bate-papo com a homenageada Ana Maria Machado. Sábado 19h ás 21h, também na Câmara Municipal
 Isso é Arte? – Bate-papo sobre arte contemporânea. Com Lina Ponzi. Sábado, 11h às 12h, no Casarão Dubois

Vida de Colono – Elizabeth Linhares e Mara Mendonça mostram como era o dia a dia dos colonos nos tempos da cafeicultura na região.  Sábado, 11h às 12h no Tendão Cultural
Mesa-redonda: História e Política na Literatura – Sábado, 14h às 16h Câmara Municipal
Novos olhares através da ludicidade – Lançamento do livro de Elaine Lopes.  Sábado, 15h às 16h,  na Tenda do Projeto Saber (Feira de livros)
Inovação na Educação: O caso do Projeto Independência. Sábado 15h às 16h na Sede da Euterpe
Poesia e os Direitos do Homem – Bate-papo comemorativo do 228o aniversário da Declaração dos Direitos do Homem. Sábado, 15h30 às 17h no Tendão Cultural
Formação de leitor: Uma questão de jardinagem – Bate-papo com Maria Clara Cavalcanti de Albuquerque, da PUC/RJ. G.E. Elias Francis
Literatura em vídeo e música – Exibição do vídeo “Nélida Piñon, a dama de pétalas” e conferência-espetáculo “O fascínio da literatura”. Sábado, 17h às 18h30, na Câmara Municipal
Vida urbana – Por que as cidades precisam de planejamento? Palestra de Regina Bienenstein. Domingo, 12h às 13h, no Tendão Cultural



Ribeirinho, Fabiana, Família Lino : Alegria das crianças:

Três atrações muito amadas pelo público infantil da FLIM estão de malas prontas para Madalena. A Família Lino - formada pelo casal Lucia e Paulo e a filha, a escritora adolescente Mariene - traz na bagagem a contação de histórias que alegra os fins de semana da meninada da Praça Granito, no bairro carioca de Anchieta.
Lucia, Mariene, Paulo: família...
...que lê e conta histórias unida, permanece unida
                             
Palhaço Ribeirinho na FLIM de 2015
O querido Tio Palhaço Ribeirinho, comandante da Barca das Letras, o premiado projeto que há anos percorre comunidades ribeirinhas, indígenas e quilombolas da Amazônia e da Bahia, faz um desvio de rota, pega um avião em Brasília  e vem de novo brincar e incentivar a leitura na FLIM.

De Cantagalo vem a querida escritora Fabiana Correa,  dona de um raro talento para compartilhar seus conhecimentos de biologia e meio ambiente em obras infantojuvenis de linguagem saborosa e edição primorosa. Livros que até adultos adoram. Veja aí os horários:


Sábado 26 de agosto
10h às 17h

  Barca das Letras: Da Amazônia para a Mata Atlântica – Brincadeiras, leituras e travessuras com o tio palhaço Ribeirinho. Praça Frouthé

14h às 17h
 Da Praça Granito para a Praça Frouthé – Contação, desenho e doação de livros, com a família carioca Lucia, Mariene e Paulo Lino. Praça Frouthé

Domingo 27 de agosto
12h às 13h
Quero minha água de volta– Lançamento do livro de Fabiana Correa. Sede da Euterpe