segunda-feira, 12 de agosto de 2013

FLIM traz o acadêmico Carlos Nejar a Madalena para falar sobre Quintana

O acadêmico Carlos Nejar, membro da Academia Brasileira de Letras, estará em Santa Maria Madalena para falar sobre o homenageado da FLIM 2013, seu conterrâneo Mario Quintana (1904-1996). A palestra será no salão da Câmara Municipal, no dia 24/08, às 17 horas.

Foto: Site da ABL
Carlos Nejar, nascido em Porto Alegre em 1939, é poeta, ficcionista, tradutor e crítico literário. Publicou seu primeiro livro, Sélesis, em 1960, pela Editora Globo, de Porto Alegre, onde Mario Quintana trabalhou durante muitos anos. Costuma ser chamado de “o poeta do pampa brasileiro”.  Tem versos como este:

Qualificação
Não venham com razões/E palavras estreitas./O que sou sustenta/O que não sou./Por mais grave a doença,/A dor já me curou./E levo no bordão,/o campo, a cerca,/as passadas que vão,/o rosto que se acerca/na rudeza do chão./O que sou/é dar socos/ contra facas quotidianas./E é pouco. (do livro Danações, 1969).

Carlos Nejar se tornou imortal da Academia Brasileira de Letras em 1989, quando tomou posse da cadeira nº 4, na vaga deixada por Vianna Moog. Tem obras publicadas em Portugal, Alemanha, Itália, Estados Unidos, Uruguai, Venezuela e Argentina. Traduziu do castelhano autores como o argentino Jorge Luiz Borges e o chileno Pablo Neruda. É pai do também poeta Fabricio Carpinejar.

Mais poemas de Carlos Nejar aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário