domingo, 16 de agosto de 2015

Poesia no guardanapo

Um crítico já disse que a poesia de Cristiano Menezes faz lembrar a delicadeza dos haicais e dos versos de Mario Quintana. Vamos ter a oportunidade de conferir na FLIM 2015, onde o poeta carioca vai apresentar o seu Guardanapos (ed. Sete Letras). São 50 poemas escritos ao longo da vida, alguns digitados no laptop, outros rabiscados até nos guardanapos dos bares. Afinal, como sabem poetas e leitores, poesia não tem hora para atacar.

 O lançamento do livro na FLIM será no Sr. Café, a acolhedora cafeteria da Riva, no sábado 29/08, às 17 horas.  Só para dar um gostinho, aqui vai um fragmento da poesia de Cristiano: 
Quero sentir o perigo
não para morrer
mas para buscar a saída
desse marasmo antigo
que boceja sem perceber
o bafo da pouca vida